Mais uma vítima de linha de “papagaio” com cerol na Capital

0
348

Screenshot 20200622 172803 Video Player 01

Manaus – Um motociclista, não identificado, ficou gravemente ferido após sofrer um corte profundo no pescoço por uma linha de pipa com cerol, no domingo, 21, nas proximidades do Prosamim, Bairro Alvorada, Capital Manaus.

Em vídeo divulgado em redes sociais, observa-se a quantidade de sangue espalhado na moto, marca/modelo: Honda/CBR600F, a qual o motociclista pilotava.

De acordo com populares, a vítima foi socorrida por pessoas que encontravam-se no local, e após perder muito sangue foi encaminhado as presas ao pronto-socorro da Cidade. Ao chegar na unidade, passou por um procedimento cirúrgico com emergência.

Aumento de Casos e Punição

Após o relaxamento da quarentena, em conjunto com o período de verão amazônico e “folgas” escolares, é visível o aumento da presença de crianças e jovens empinando pipas em diversos pontos, não somente da Capital, como no interior do Estado. Em maio, uma motociclista foi vítima fatal após cortar o pescoço por uma linha de papagaio com cerol em Manaus.

A Polícia juntamente com órgãos competentes, intensificam as ações de apreensão de linhas com cerol, principalmente chilenas (altamente cortante e perigosa), com a intenção de coibir e freiar estes casos cada vez mais frequentes.

Uma linha de “papagaio” com cerol se transforma em uma verdadeira navalha e apresenta um alto risco à quem trafega em vias públicas, podendo ocasionar, por muita das vezes, acidentes fatais.

O uso do cerol é considerado crime penal capitulado nos artigos 129, 132 e 278 do Código Penal Brasileiro, além do artigo 37 da Lei das Contravenções Penais. Em caso do uso do cerol por crianças ou adolescentes, estes podem ser apreendidos e encaminhados às autoridades competentes. Já o adulto que fizer uso do cerol será conduzido, junto ao material, até a autoridade judiciária, podendo até mesmo ser preso.

Em Manaus, a Lei 1.698/2015 proíbe a venda e o uso do cerol, mistura de cola e vidro moído, linha chilena de óxido de alumínio e silício, ou de qualquer material cortante usado para soltar papagaios ou similares.

Recomenda-se a prática de soltar pipa seja realizada em locais onde não haja rede elétrica, nem vias de tráfego, e a ação só é permitida em áreas estabelecidas pelo Poder Público Municipal.

A população pode denunciar práticas ilegais e uso indevido de cerol por meio do telefone 190.

Deixe uma resposta